terça-feira, 7 de outubro de 2008

o deserto

no meio da explosão de sentimentos enervantes e contraditórios, lágrimas e ranger de dentes: o lampejo da lucidez. Melhor sangrar até a morte do que se congelar em plena vida. Porque é só no deserto que a verdadeira natureza se manifesta.
A experiência desconcertante do si mesmo só acontece quando todas as muletas ficaram para trás. Quando nos encontramos assaltados, de vestes completamente rasgadas e peito aberto numa profunda ferida.
Só depois da verdadeira morte encontramos a plenitude da vida.

2 comentários:

Victor Manfredine disse...

meta para caderninho de anotações:
ver se depois da morte, tudo que eu pensava realmente acontece ;]

Anderson disse...

para os raros e loucos digo q pés para q os quero se tenhu asas para voar!



Anderson Lima